POR QUE A GENTE SONHA?

POR QUE A GENTE SONHA?

DE ONDE VEM OS SONHOS?

Todas as pessoas saudáveis sonham. É um evento universal e fisiológico.

Sonhamos cerca de 4 a 5 vezes por noite, em uma fase do sono chamada de sono-REM (Rapid-Eye Movement), com durações de 5 a 30 minutos. Na segunda metade da noite os sonhos são mais intensos e prolongados. O que ocorre é o rastro de memória de um sonho que é muito tênue, por isso esquecemos grande parte do que sonhamos.

Para lembrar-se de um sonho precisamos acordar durante ele ou bem próximo dele.

ENTENDENDO OS SONHOS

Depois de tanto tempo, a humanidade parece entender um pouco melhor a confusão dos sonhos, mas muitas teorias ainda nos dividem e tentam explicar a origem dessa sequência de imagens e emoções que passam pelas nossas mentes quando dormimos.

FREUD

Freud foi um dos grandes pesquisadores a respeito dos sonhos e explicou um conceito muito importante: quando a pessoa dorme sua mente subconsciente desperta. E quando acordamos, a mente consciente acorda e a subconsciente adormece. Freud também concluiu que durante o sonho todos os nossos desejos frustrados, emoções, pensamentos que não foram liberados durante o dia são libertados por nossa mente inconsciente. Isso são os nossos sonhos segundo Freud. “As interpretações dos sonhos são a estrada real para entender as atividades do inconsciente”, escreveu. O propósito dos sonhos, segundo ele, era realizar desejos reprimidos.

GRUPO SAUDE

JUNG

Carl Jung, seu mentor e mais tarde rival, assumiu uma perspectiva diferente: sonhos são um caminho para as partes de si mesmo, além de sua consciência, capazes de alertá-lo sobre qualquer coisa através de símbolos universais.

Por mais de um século, pesquisadores têm estudado como o sono pode promover a memória, especificamente a formação de memórias de longo prazo. Agora neurocientistas descobriram que as imagens vistas nos sonhos são um produto originado pelo processo de criação de memória.

O QUE SÃO OS SONHOS?

O sonho é uma criação e uma vivência puramente cerebral e fisiológica. Quando dormimos ocorre lentificação progressiva da atividade cerebral, redução da percepção do ambiente externo e relaxamento muscular. Eis que, na hora do sono, a atividade cerebral se altera. Surge franca atividade cognitiva, várias áreas e funções se ativam, como a memória, emoções, a criatividade, etc. Os olhos passam a se mover de um lado para o outro, mesmo abaixo das pálpebras. É como se o cérebro despertasse para dentro de si. O corpo mantém-se inerte e paralisado e promove uma redução da percepção do ambiente ao seu redor.

FERRAMENTA DE APRENDIZADO

Do ponto de vista cognitivo, imagina-se que o sonho tenha funções de ajustes importantes no aprendizado. Esquecer aquilo que não importa, consolidar memórias relevantes, organizar os arquivos mentais, etc. Também é um exercício mental de criatividade, confrontação de dilemas conscientes e inconscientes, autoconhecimento, etc. O enredo do sonho é fruto de um emaranhado de memórias com intenso componente emocional e fantasioso. Grande parte do que sonhamos à noite refere-se à coisas que vivenciamos no dia anterior ou nos dias anteriores. O sonho é uma colcha de retalhos com personagens, símbolos, alegorias, ambientes que afloram do nosso arsenal de vivências, mas dispostos de forma meio errática. Podemos misturar pessoas que nunca se encontraram, ambientes distantes em muitos quilômetros, vale pessoas mortas, eventos sobrenaturais, etc.

RACIOCÍNIO CRIATIVO

O sonho é uma amostra mental totalmente livre e improvável. Esse é um ambiente ótimo para o raciocínio criativo. No meio de muita coisa estranha pode surgir um pensamento que foge ao senso comum, uma solução inédita e absolutamente brilhante. Sonhamos com o que vivemos. Se estivermos imersos em um determinado problema, esse problema será abordado seguramente durante nossas noites, podemos vivenciar a resposta no meio de um sonho ou acordar com a ideia pronta na cabeça. Nosso cérebro trabalhou para isso.

SONHOS RECORRENTES

Existem sim alguns sonhos que são recorrentes. Isso é comum quando estamos imersos em alguma atividade mais tensa e estressante, no ano de vestibular, por exemplo. Outra opção são pessoas que passaram por traumas emocionais intensos, como tragédias, violência, acidentes de carro, etc. O estresse pós-traumático pode trazer sonhos recorrentes ligados diretamente ou simbolicamente ao trauma ocorrido. Nesses casos pode ser necessária terapia, métodos de controle de sonho e, eventualmente, medicações para inibir o pensamento onírico recorrente.

PESADELOS

Os pesadelos são sonhos com emoções mais negativas, tipo medo, pavor, tristeza, dor, sofrimento, etc. Eles são mais comuns quando estamos emocionalmente abalados, ou com febre, sob efeito de álcool, com o sono muito atrasado, ou em situações como a apneia do sono, muito comum em pessoas acima do peso. Crianças têm muito mais pesadelos que adultos. Pesadelos recorrentes podem ser frutos de estresse pós-traumático e podem necessitar de intervenção médica. Pensar em coisas boas antes de dormir, rever seus hábitos e medicamentos, ingerir alimentos mais leves, praticar atividade física regular e tratar uma possível apneia são boas tentativas para se livras desses sonhos indesejados.

CABALA

Já a Cabala menciona os sonhos espirituais. Quando a pessoa usa o desejo de receber para compartilhar, durante o sono sua alma se eleva à dimensão da Sefirá de Biná, recebendo energia e mensagens desse nível de consciência de Biná. Essas mensagens são os sonhos espirituais, através dos quais recebemos muito conhecimento espiritual, podendo até mesmo receber mensagens proféticas do mundo superior.

Por isso, segundo a Cabala existem três níveis de sonhos:

1º nível:

  • Não tendo feito restrição, a alma fica presa; a alma pode até receber mensagens, mas por estar presa elas vêm obscuras, recebe mensagens misturadas, verdades e mentiras, e quando a pessoa desperta sente-se confusa, sabe que sonhou e passa dias tentando entender o sonho ou livrar-se dessa confusão. Os outros dois níveis são sonhos espirituais.

2º nível:

  • São os sonhos repetitivos. Esse tipo de sonho pode ter uma mensagem que quer nos mostrar ou ensinar algo, às vezes até de nossas vidas passadas. Neste nível estão também os sonhos dos quais nos lembramos de maneira muito vívida, como se tivéssemos vivido mesmo esse sonho.

3º nível:

  • São os sonhos proféticos. Já lemos ou ouvimos falar de Profetas que entraram em estado de transe e receberam profecias através de sonhos. São os sonhos de nível mais elevado.

Quando falamos do sono entendemos que é uma necessidade física, assim como a alimentação, mas também uma necessidade espiritual e um processo pelo qual temos que passar. Pesquisas já concluíram que após 72 horas sem dormir, corre-se o risco de morrer.

COMPARTILHAR FACEBOOK

COMPARTILHAR WHATSAPP

– – – 0 0 0 – – –

GOSTOU DESTE ARTIGO? TEM MUITO MAIS!