ÔMEGA 3: BOM PARA O CÉREBRO E O CORAÇÃO

O ômega 3 é um tipo de gordura boa para o organismo, que é encontrada especialmente em alguns peixes e sementes, que protege o corpo de doenças cardiovasculares e que faz bem ao cérebro.

ÔMEGA 3

Ácidos essenciais

Esses ácidos graxos são chamados de essenciais porque o organismo não consegue produzi-los. Quando são ingeridos, essas gorduras possuem uma função mais nobre do que a elaboração da camada lipídica em torno da célula. Quando as membranas celulares estão repletas destes ácidos as funções das células ocorrem de forma muito melhor. Outros pontos muito importantes nos quais esses lipídeos agem são na formação da bainha de mielina, um componente dos neurônios, e no recobrimento da retina ocular, parte dos olhos que tem o papel principal de transformar o estímulo luminoso em estímulo elétrico para o cérebro poder realizar o processo de enxergar.

O ômega 3, assim como qualquer outra gordura, quando consumido em excesso engorda. Cada 1 g de qualquer gordura contém 9 calorias.

Contudo, quando utilizada sob orientação do médico ou do nutricionista pode ser um bom aliado para ajudar a emagrecer. Desde que não seja consumido em excesso.

Estudos recentes  observaram que pessoas idosas que consomem semanalmente uma porção de peixe rico em ômega 3 têm 44% menos chances de sofrer um infarto.

Benefícios do ômega 3

Os principais benefícios do ômega 3 podem ser:

GRUPO SAUDE

  • Melhora a capacidade de aprendizagem,
  • Evita coágulos de sangue, causadores do derrame ou infarto
  • Reduz os níveis de triglicerídeos
  • Evita arritmias cardíacas, estabilizando a atividade elétrica no coração.
  • Regula a pressão arterial
  • Ajuda na visão
  • Combate a depressão
  • Alivia os sintomas da artrite reumatoide
  • Diminui o estresse,
  • Combate a TPM,
  • Combate inflamações,
  • Melhora o sistema imune,
  • Ajuda a emagrecer,
  • Ajuda na manutenção dos níveis de testosterona, para um ótimo desenvolvimento muscular.

Ômega 3 e diabetes

Uma pesquisa realizada pela Universidade de Valência, na Espanha, analisou o consumo de carne e peixe em 945 pessoas entre 55 e 80 anos com alto risco cardiovascular e descobriu que o consumo de peixe, que é rico em ômega 3, está associado a menor incidência de diabetes tipo 2 e a diminuição da concentração de glicose, enquanto o consumo de carne vermelha está relacionado à obesidade. Os estudiosos acreditam que isto ocorre porque o aumento do ácido graxo nas células dos músculos esqueléticos melhora a sensibilidade à insulina.

Ômega 3 e a obesidade:

O ômega 3 é interessante para combater a obesidade devido à sua ação anti-inflamatória. A obesidade é um processo inflamatório e age de maneira a interferir na forma como o cérebro percebe a presença de comida no corpo.

O ômega 3 consegue também modular a expressão de neurotransmissores que controlam a fome e reduz a presença de proteínas responsáveis por aumentar o apetite.

Ômega 3 e gravidez

O ômega 3 também pode ser benéfico para as grávidas. Um estudo revelou que o ácido graxo ajuda as mulheres a terem bebês mais fortes. Também reduz a incidência de partos prematuros.

Pesquisas apontam que o consumo do ômega 3 no último trimestre de gestação e nos primeiros meses de aleitamento aumenta o QI dos bebês.

A sugestão para as gestantes é ingerir o ômega 3 por meio da alimentação:

  • Comer peixes de água fria, como o salmão e a sardinha, duas ou três vezes na semana
  • Incluir oleaginosas, como a nozes, nos lanches entre as principais refeições

Para alcançar todos estes benefícios pode ser necessário fazer uma suplementação alimentar. Por isso, deve consultar-se o médico ou nutricionista para saber se a alimentação é adequada e tem a quantidade de ômega 3 necessária ao organismo ou se é necessário fazer suplementação.

O ômega 3 é um nutriente muito importante para as funções cerebrais. 60% do cérebro é constituído por gordura sendo que na sua maior parte de Ômega 3.  A deficiente ingestão desta gordura está associada a maior perda de memória do idoso. Resultado: elevados níveis de sentimentos de angústia e depressão.

ÔMEGA 3

Alimentos ricos em ômega 3

Os alimentos mais ricos em ômega 3 são os peixes. Veja a tabela a seguir:

ÔMEGA 3

 

O azeite de oliva, o óleo de linhaça e a própria semente de linhaça, brócolis, rúcula e espinafre também possuem ômega 3, só que em menor proporção. Os óleos de soja e canola, noz e as sementes de chia são ricas em ômega 3, no caso o ácido alfa-linolênico. A quantidade diária recomendada de linhaça, 10 gramas, possui 0,54 gramas do ácido graxo. A chia também conta com boas quantidade de ômega 3.

ÔMEGA 3

Como preservar o nutriente

Ao consumir o peixe é importante que ele seja refogado, grelhado ou assado. Fritar este alimento não é interessante, pois diminui drasticamente a quantidade de ômega 3. Quanto aos óleos de canola e soja a orientação é aquecê-los até 170 graus. Mais do que isso o ácido graxo se perde.

Um método caseiro para saber se o óleo alcançou a temperatura ideal é colocar um pedaço de pão no líquido. Se o alimento afundar significa que o óleo está frio, se boiar completamente quer dizer que está muito quente, acima de 180 graus, e se ficar no meio a temperatura é a ideal, cerca de 170 graus.

Para obter o ômega 3 das sementes de linhaça e chia é preciso triturá-las. O ácido graxo está dentro de uma capa de celulose. Porém, ao quebrar essa capa, um óleo muito sensível é exposto.

A orientação é triturar toda a quantidade do saquinho com uma das sementes, colocar o pó em uma vasilha de plástico fosca com tampa e armazená-la no freezer. Assim, o alimento fica protegido da luz, do oxigênio e da temperatura, evitando que ocorra a oxidação. Este procedimento é muito importante, se não for feito e a gordura do alimento triturado oxidar, isto pode ser muito prejudicial para a saúde.

compartilhar fb

– – – 0 0 0 – – –

GOSTOU DESTE ARTIGO? TEM MUITO MAIS!