HIPOALERGÊNICO x ANTIALÉRGICO

Alergias são respostas exageradas do sistema imunológico a substâncias estranhas ao organismo e que geram uma hipersensibilidade a um estímulo externo específico (alergenos). Elas também podem acontecer pelo contato da pele com determinados objetos, como pulseiras de plástico, metal ou couro, óculos, botões de metal, elásticos e esmalte. As substâncias geralmente são inaladas, ingeridas, injetadas ou colocadas em contato com a pele.

cosmeticos

Quando os alergenos entram em contato com o organismo, as células produtoras de anticorpos são ativadas e determinam a liberação de mediadores potentes, principalmente histamina, que acabam por provocar os sintomas alérgicos. Ocorre que, muitas pessoas quando descobrem que são alérgicas, não sabem direito o que fazer, se tomam remédios, se deixam de usar alguns objetos ou se deixam de comer determinados alimentos ou ainda, se deixam de usar produtos específicos. Começa a procura por produtos para ajudar a minimizar os sintomas da alergia, como hidratantes, desodorantes, tinturas para cabelo, maquiagens etc. É nesse momento que saber as diferenças entre hipoalergênicos e antialérgicos faz toda a diferença. A formulação e funções dos hipoalergênicos e dos antialérgicos são bem diferentes e não devem ser confundidos:

Hipoalergênicos: A ANVISA considera hipoalergênicos os produtos que passaram por testes de sensibilização realizados em humanos em laboratórios especializados. São produtos com menos chances de causar alergia. No entanto não há garantias de que o produto não causará alergia em 100% das pessoas, já que cada um tem diferentes reações.

Antialérgicos: Os antialérgicos são medicamentos usados para tratar as reações alérgicas. Eles agem contra os sintomas, bloqueando a ação de uma substância liberada durante uma reação.

Para simplificar, o hipoalergênico previne e o antialérgico trata.

No caso dos cosméticos, as atenções devem se redobradas. Muitas substâncias alergênicas são usadas em vários tipos de cosméticos devido ao custo ou facilidade de uso na formulação. O fato é que é interessante sempre dar preferência aos produtos hipoalergênicos, pois quando não são, a exposição frequente (ou seja, o uso contínuo) pode acabar desenvolvendo uma alergia.

GRUPO SAUDE

esmalte

Já a alergia alimentar é uma reação do sistema imunológico que ocorre logo após a ingestão de um determinado alimento. Mesmo uma pequena quantidade do alimento que causa alergia em algumas pessoas pode desencadear sinais e sintomas, que costumam variar de gravidade. É fácil confundir alergia alimentar com intolerância alimentar, que é uma reação muito mais comum. Esta última, no entanto, é menos grave que uma alergia alimentar e não envolve o sistema imunológico.

Esse problema é tão frequente que levou a Anvisa a tomar algumas ações, obrigando que a indústria alimentícia a rotular seus produtos. A norma publicada em 3 de julho de 2015 obriga a indústria a declarar nos rótulos a presença dos principais alimentos que causam alergias. Seu principal objetivo é alertar o consumidor sobre a presença ou traços de alimentos que são comumente associados à alergias alimentares.

Os rótulos deverão informar a existência de determinados alimentos: trigo, centeio, cevada, aveia e suas estirpes hibridizadas; crustáceos; ovos; peixes; amendoim; soja; leite de todos os mamíferos; amêndoa; avelã; castanha de caju; castanha do Pará; macadâmia; nozes; pecan; pistaches; piñoli; castanhas, além de látex natural.

alimentos

Já nos casos em que não for possível garantir a ausência de contaminação cruzada dos alimentos (que é a presença de qualquer alérgeno alimentar não adicionado intencionalmente, como no caso de produção ou manipulação), o rótulo deve constar a declaração “Alérgicos: Pode conter (nomes comuns dos alimentos que causam alergias alimentares)”.

O fato é que uma pessoa só saberá se é alérgica ou não, ao entrar em contato com a substância causadora. Usar produtos hipoalergênicos reduzirá substancialmente a possibilidade de desenvolver alguma reação alérgica e para os já alérgicos, ler o rótulo dos alimentos evitará complicações. Mas muito cuidado, algumas reações alérgicas podem levar à morte! Caso as reações sejam muito intensas, procure logo um médico.

compartilhar fb

[sg_popup id=”18″ event=”onload”][/sg_popup]

[sg_popup id=”20″ event=”onload”][/sg_popup]