HIPERTENSÃO: CAUSAS E CUIDADOS

 HIPERTENSÃO ARTERIAL

hipertensao-1

Dizemos que há hipertensão arterial, (ou pressão alta) quando as artérias oferecem resistência para a passagem do sangue, e este faz mais força para passar. O sangue bombeado pelo coração para irrigar os órgãos ou movimentar-se, exerce uma força normal contra a parede das artérias. 

Além da hereditariedade, diversos fatores podem contribuir para o surgimento da doença:

  • sedentarismo
  • excesso de peso
  • consumo exagerado de sal

Além disso, o envelhecimento natural das artérias (pelo depósito de cálcio)  justifica maior quantidade de idosos hipertensos.

No Brasil, estima-se que 12 milhões de pessoas ainda não sabem que possuem a doença, pois é silenciosa e costuma apresentar sintomas mais intensos somente quando já está em estágio avançado.

A hipertensão eleva o risco de acidente vascular cerebral (AVC), infarto agudo do miocárdio e insuficiência renal. Se não controlado, o problema também pode causar cegueira, irregularidades nos batimentos cardíacos e insuficiência cardíaca. Uma pessoa é considerada hipertensa quando sua pressão é igual ou maior que 140 x 90 mmHg ou seja, 14 por 9. Porém, para fazer o diagnóstico de hipertensão arterial é preciso mais de uma medida da pressão arterial.

Quando um indivíduo apresenta uma hipertensão arterial grave ou prolongada e não tratada, apresenta dores de cabeça, vômito, dispneia ou falta de ar, agitação e visão borrada decorrência de lesões que afetam o cérebro, os olhos, o coração e os rins.

GRUPO SAUDE

hipertensao-2

Tratamento

A menos que haja uma necessidade evidente para uso de medicamentos imediato, como no caso de pacientes com níveis de pressão arterial acima de 180/110 mmHg, a maioria dos pacientes deve ter a oportunidade de reduzir sua pressão arterial através de tratamento não farmacológico, por meio de medidas gerais de reeducação, também conhecidas como modificações no estilo de vida. O objetivo do tratamento medicamentoso é reduzir a resistência vascular periférica, promovendo vasodilatação. Os diferentes agentes anti-hipertensivo o fazem por diferentes mecanismos.

Prevenção

A prevenção começa na juventude, quando é importante que se mantenha o peso, que se faça exercícios físicos, principalmente os aeróbicos, que se tenha um consumo adequado de sal, sem exageros e que se faça a monitoração regular da pressão arterial, pois é importante que o tratamento seja iniciado o quanto antes e não somente quando as complicações já estiverem se estabelecido.

.

Cuidados para prevenir a Hipertensão Arterial

  • Manter um peso adequado. É importante avaliar a medida da circunferência abdominal (cintura) – no homem não deve ultrapassar 102 cm e, na mulher, 88 cm.
  • Seguir uma dieta balanceada
  • Controlar o estresse (nervosismo). Tente administrar seus problemas de uma maneira mais tranquila.
  • Praticar de 30 a 45 minutos de exercícios físico, pelo menos três vezes por semana. Faça caminhadas, suba escadas ao invés de usar o elevador, ande de bicicleta, nade, dance.
  • Reduzir a quantidade de sal ingerida. Use no máximo 1 colher de chá para toda a alimentação diária. Não utilize saleiro à mesa e não acrescente sal no alimento depois de pronto.
  • Não fumar.
  • Evitar açúcares e doces, derivados de leite na forma integral, com gorduras, carnes vermelhas com gorduras aparente e vísceras, temperos prontos, alimentos industrializados que vêm em latas ou vidros, alimentos processados e industrializados como embutidos, conservas, enlatados, defumados, charque.
  • Dar preferência a alimentos cozidos, assados, grelhados ou refogados, temperos naturais como limão, ervas, alho, cebola, salsa e cebolinha, frutas, verduras e legumes, produtos lácteos desnatados.
  • Ingerir bastante água

Cuidados para quem já desenvolveu Hipertensão Arterial

  • Tomar as medicações conforme orientação médica.
  • Comparecer às consultas regularmente.
  • Conversar com o médico em caso de dúvidas sobre o medicamento.
  • Não abandonar o tratamento em hipótese alguma.
  • Incluir no cardápio duas ou três porções de laticínios desnatados ou semidesnatados por dia.
  • Preferir os alimentos integrais, como pão, cereais e massas integrais ou de trigo integral.
  • Acrescentar frutas, legumes e fibras no cardápio diário.
  • Parar de fumar e diminuir o consumo de cafeína e álcool.
  • Controlar o estresse.
  • Evitar o uso de medicamentos que elevem a pressão arterial, salvo sob orientação médica, como anticoncepcionais, anti-inflamatórios, moderadores de apetite, corticoides, antidepressivos, entre outros.

Siga as orientações do seu médico, elas contribuirão para o controle da pressão arterial e para a diminuição dos riscos de doenças cardiovasculares.

compartilhar fb