EXERCÍCIOS QUE AJUDAM A PRESERVAR A MENTE SAUDÁVEL

LN-Bem-viver


Atividades simples como escrever à mão, ler ou caminhar, podem ser fundamentais para melhorar a sua capacidade mental e prevenir o comprometimento cognitivo que possam surgir devido à idade.

escrever-a-mao

O exercício é uma das melhores maneiras de aumentar a força, resistência e flexibilidade do nosso corpo para manutenção da saúde. Esta prática pode ser feita diariamente e os efeitos positivos sobre o sistema cardiovascular, a circulação e outros órgãos vitais, podem ser comprovados.

exercitando

Contudo, é importante fazer um treinamento mental que ajude a impulsionar o poder do cérebro para preservar a memória e outras habilidades importantes. O cérebro se mantém ativo até quando descansamos e sua complexidade requer a realização de atividades específicas para mantê-lo em boa forma.

Felizmente, há uma grande variedade de exercícios que cuidam de sua saúde e protegem as funções cognitivas. A seguir, alguns exercícios a serem incluídos em sua rotina:

GRUPO SAUDE

Escrever à mão

Mesmo na época dos computadores, tablets e celulares, a escrita à mão é uma habilidade que não devemos deixar de lado, já que trabalha áreas do cérebro que permitem obter uma aprendizagem significativa. Isso se deve ao fato do sistema ativador reticular do cérebro processar o que você está fazendo enquanto você foca na escrita.

Praticar desafios matemáticos diariamente

As atividades matemáticas são um dos melhores exercícios para fortalecer a memória e aumentar a potência cerebral. Podem ser feitos a mão ou podemos aproveitar alguns dos aplicativos desenvolvidos para celulares e computadores. O Sudoku também exige bastante da mente e contribui para melhorar as habilidades de resolução de problemas.

curtirFB

Movimentar os dedos dos pés

Um simples movimento dos dedos do pé ao começar o dia contribui para melhorar a atenção do cérebro e a capacidade para ficar alerta. Pode ser feitos com movimentos curtos de todos os dedos dos pés e depois só com os dedões.

Ler bastante

A leitura é um exercício básico para aumentar a potência cerebral e desenvolver o pensamento cognitivo. Este tipo de treinamento relaxa a mente e ajuda a diminuir a tensão associada ao excesso de estresse. Sua prática contínua potencializa a criatividade, melhora a memória e agiliza os processos mentais que nos permitem ser mais ativos e eficientes.

Aprender outro idioma

aprender-idioma

Sem se importar com a idade que você tenha, aprender outro idioma ajuda a trabalhar regiões do córtex cerebral que se associam ao processamento acústico, à compreensão e articulação das palavras. Isso faz com que o hipocampo cresça e potencialize a capacidade de memória e aprendizado. Além disso, ser bilíngue melhora a reserva cognitiva e confere certo nível de proteção frente à doença de Alzheimer.

Fazer caminhadas

As caminhadas e atividades similares podem melhorar a função cognitiva em pessoas mais velhas, incluindo a memória verbal, a fluidez e a atenção. Estes exercícios ativam a circulação do sangue até o cérebro, aumentando sua oxigenação e o número de nutrientes que ele requer para manter os tecidos, nervos e neurônios.

Montar quebra-cabeças

quebra-cabeca

Jogos infantis como da memória e quebra-cabeças, exigem que o cérebro trabalhe a concentração. Inicie um desses jogos e cronometre o tempo que você leva para encaixar as peças ou descobri-las. E depois, repita novamente e veja o quanto você progrediu. Outros jogos que ajudam também são xadrez, palavras cruzadas, dominó, jogos de perguntas e respostas e mesmo jogos de cartas.

Dormir bem

Exercitar o relaxamento é muito efetivo. O bom sono é fundamental para fixação das atividades do dia anterior e prepara o cérebro para as atividades mentais do dia seguinte. A “soneca” depois do almoço, (não mais que 30 ou 40 minutos), ajuda o cérebro a ter um bom rendimento no período da tarde.

dormir-bem

Mesmo com estas dicas, caso perceba pequenos sinais que indicam que a capacidade mental está se deteriorando, surgindo lapsos de memória, desatenção e baixa produtividade, procure um médico – ele saberá diagnosticar e indicar o tratamento mais adequado.

compartilhar fb