DORES NAS PERNAS PRECISAM DE ATENÇÃO

Pode não parecer, mas dores nas pernas são alarmes para diversos problemas de saúde que merecerão a atenção de um especialista em cirurgia vascular. São várias as patologias que afetam os nossos membros inferiores e que muitas vezes são interpretadas como simples cansaço.

Que doenças podem estar implicadas no desenvolvimento de dores nas pernas?

Quando intensificamos o nossos exercícios físicos ou iniciamos um regime propriamente dito, as dores nas pernas são normais. Embora o fenômeno não seja totalmente compreendido, as teorias mais aceites atribuem essas dores a microfraturas nas fibras musculares causadas pelo exercício, mas que serão reparadas, levando ao desaparecimento das dores em poucos dias e com a renovação das práticas de esportes.

Mas porque “há dores e dores”, em muitos casos estas queixas devem ser encaradas com seriedade, podendo indicar a presença de problemas secundários mais graves:

  • Doença arterial periférica (DAP): neste caso as dores nas pernas surgem após o esforço e desaparecerem com o descanso. As pessoas são obrigadas a interromper a marcha por dor intensa, conseguindo retomá-la após um período variável (alguns segundos a minutos) de descanso. É o que se chama de claudicação intermitente. As dores são provocadas pela oxigenação deficiente dos músculos, uma consequência do estreitamento das artérias pela acumulação de placa aterosclerótica. Os tratamentos incluem fisioterapia (programa de marcha) e medicamentos. Em casos mais graves pode ser necessário recorrer a intervenção cirúrgica. Se deixada progredir sem tratamento, a DAP pode evoluir para situações mais críticas com aparecimento da dor mesmo em repouso, principalmente nos pés, podendo, em algumas situações, levar a perda tecidular com gangrena e necrose.
  • Varizes: as varizes normalmente causam sensação de cansaço, peso e dores nas pernas. Mas mesmo antes das varizes serem visíveis, as dores já se podem fazer sentir, particularmente ao fim do dia. Nos homens, onde os pelos frequentemente mascaram os derrames e as varizes, as cãibras noturnas e as dores nas pernas poderão ser os primeiros sinais de alarme. Existem atualmente diversos tratamentos para varizes, incluindo a escleroterapia, a ablação endovenosa por laser ou radiofrequência, e o stripping (remoção) da veia safena. A decisão por um tratamento específico depende de cada caso. Se deixadas por tratar, as varizes tendem a agravar, com o desenvolvimento de mais varizes e de potenciais complicações (tromboflebites, edema, alterações da pele e úlceras de perna de difícil cicatrização).
  • Trombose venosa profunda: a formação de coágulos nas veias profundas das pernas é outra causa possível para dores nas pernas, mais frequentemente a par com inchaço (edema) exuberante da perna. Se um fragmento deste trombo se soltar poderá “viajar” até aos pulmões e causar uma embolia pulmonar, potencialmente mortal. Os tratamentos existentes passam por administração de anticoagulantes, como a heparina e a varfarina, ou a realização de trombólise, isto é, a dissolução do trombo com recurso a medicamentos específicos.

Estes são os principais exemplos de patologias vasculares secundárias a dores nas pernas, mas existem outras causas não vasculares. Dores nas articulações podem, por exemplo, ser devidas a artrite, enquanto a ruptura de um quisto de Baker levará ao surgimento de dores agudas na parte posterior do joelho e edema da perna.

GRUPO SAUDE

Tenho dores nas pernas: o que devo fazer?

Os exemplos acima descritos não cobrem exaustivamente todas as patologias que podem causar dores nas pernas, mas apenas algumas das causas mais comuns.

No caso de ter queixas importantes, deve recorrer a um médico para procurar uma cuidada avaliação, diagnóstico e orientação terapêutica.

COMPARTILHAR FACEBOOK

COMPARTILHAR WHATSAPP

– – – 0 0 0 – – –

GOSTOU DESTE ARTIGO? TEM MUITO MAIS!