DIABETES TIPO 1 – ESPERANÇAS NO SEU COMBATE

LN-Medicina_e_saude


A cura para o diabetes tipo 1 pode não estar muito longe, segundo estudo publicado por pesquisadores do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), no início de 2016, na revista Nature Medicine.

insulina

Neste estudo, os cientistas demonstram que as células β produtoras de insulina, derivadas a partir de células-tronco humanas, foram capazes de reverter a condição do diabetes em animais de laboratório por um longo período de tempo. Esse avanço pode resultar futuramente, no fim das injeções diárias de insulina para aqueles que sofrem desta doença.

curtirFB

O diabetes tipo 1 é uma doença autoimune que causa a perda das células produtoras de insulina no pâncreas. O resultado disso é que a falta do hormônio insulina leva ao aumento da glicose (açúcar) no sangue (hiperglicemia), o que pode causar problemas sérios de saúde. Os portadores do diabetes tipo 1 devem testar os seus níveis de açúcar no sangue várias vezes ao dia e tomar injeções sempre que estes estiverem alterados para controlar adequadamente seu metabolismo, sob o risco de ter complicações maiores como cegueira ou AVC, por exemplo.

Neste sentido, utilizar células-tronco para se obter células produtoras de insulina que possam ser utilizadas em terapias de reposição celular, é um grande avanço. Os pesquisadores conseguiram burlar o sistema imunológico encapsulando várias células β em um gel de alginato modificado. Este gel foi capaz de “esconder” as células β, impedindo o ataque das células imunológicas e permitindo que elas continuassem secretando insulina. O uso desta estratégia terapêutica foi capaz de reduzir os níveis sanguíneos de açúcar em camundongos hiperglicêmicos por até 174 dias, que foi o tempo estabelecido para a realização dos experimentos.

GRUPO SAUDE

injeção de insulina

A próxima etapa, para se confirmar a eficiência desta terapia, será testar em humanos portadores do diabetes tipo 1, permitindo que estes produzam sua própria insulina. Entretanto, muitas pesquisas e testes ainda precisam ser feitos por se tratar da utilização de células tronco. Podemos dizer que uma janela foi aberta, mas ainda há muito a ser feito até chegar o estágio de abolir por completo as injeções de insulina.

Fonte: Nature Medicine

compartilhar fb

CallReceitas