COLESTEROL: MOCINHO OU BANDIDO?

COLESTEROL

O QUE É O COLESTEROL? 

Colesterol é um tipo de gordura que está presente naturalmente no corpo. Ele desempenha um papel vital no modo como cada célula funciona, mas o excesso de colesterol no sangue é um dos fatores de risco no desenvolvimento de doenças cardíacas. Nosso corpo usa o colesterol para produzir alguns hormônios, tais como vitamina D, testosterona, estrógeno, cortisol e ácidos biliares que ajudam na digestão das gorduras. Existem muitos fatores de risco para doenças cardíacas, e é importante cuidar de todos eles para reduzir esse risco como um todo.

COLESTEROL

DOIS TIPOS DIFERENTES

O colesterol está presente em todo o corpo em moléculas chamadas lipoproteínas. Existem dois tipos muito importantes, especialmente se considerarmos que um tipo de colesterol pode ser bom e outro ruim. Respectivamente: O colesterol LDL e o colesterol HDL.

  • O colesterol LDL (Lipoproteína de Baixa Densidade)
    • é geralmente chamado de “colesterol ruim”, pois contém uma quantidade relativamente elevada de colesterol que pode se acumular nas paredes arteriais.
  • O colesterol HDL (Lipoproteína de Alta Densidade)
    • é capaz de remover e transportar o colesterol das artérias e levá-lo para o fígado, onde é eliminado. É chamado de “colesterol bom”.

O colesterol LDL elevado é amplamente conhecido por ser um dos fatores de risco no desenvolvimento de doenças cardíacas. Existem muitos fatores de risco para doenças cardíacas, e é importante cuidar de todos eles para reduzir esse risco.

Os níveis são medidos por meio um exame de sangue, e pode ser realizado com facilidade. Os resultados indicam não apenas a quantidade total, mas também as quantidades de LDL e HDL no seu sangue. O ideal é manter o total geral de colesterol baixo, mas proporção de HDL no total também é importante. Isso pois um exerce uma função diferente do outro.

Sempre consulte um médico para interpretar os resultados do teste e para que ele faça as recomendações necessárias para te ajudar a manter os níveis  adequados. A boa notícia é que existem algumas medidas que você pode adotar para ajudar a reduzir o colesterol LDL.

GRUPO SAUDE

COLESTEROL

 Fatores de risco

A maioria das possíveis causas para se desenvolver colesterol alto são atitudes que podemos controlar. Existem apenas alguns fatores de risco para o colesterol elevado que estão fora do nosso alcance.

Sexo e Idade

  • Ser mulher na menopausa aumenta o risco de colesterol alto. O hormônio feminino enquanto produzido oferece um efeito protetor sobre o HDL. Até a menopausa, as mulheres têm níveis mais elevados de colesterol “bom” e níveis mais baixos de colesterol “mau” do que os homens. Após a menopausa, as mulheres tendem a ter níveis mais elevados de LDL do que os homens. Isso aumenta as chances de doença coronária..

Histórico familiar

  • Ter um histórico familiar é também um fator de risco. Se o colesterol alto é devido à genética, uma pessoa pode nascer com níveis elevados de LDL. Por isso, deve realizar acompanhamento médico desde a infância.

Obesidade

  • Um índice de massa corporal (IMC) de 30 ou mais coloca uma pessoa em maior risco de colesterol alto.

Inatividade Física

  • Não fazer exercícios aumenta o risco de colesterol LDL alto.

Fumar

  • O tabagismo prejudica as paredes arteriais tornando-as mais suscetíveis ao acúmulo de colesterol LDL. Fumar também pode diminuir o colesterol HDL

Diabetes

  • Pessoas com diabetes mellitus são mais suscetíveis a possuírem baixos níveis de colesterol HDL “bom” e níveis elevados de colesterol LDL “mau”. Assim como o tabagismo, o açúcar elevado no sangue pode danificar as paredes arteriais.

Alimentação

  • Uma dieta rica em gordura saturada, gordura trans e açúcar pode elevar o LDL “mau” e os níveis de triglicerídeos, aumentando o risco geral de colesterol alto.
  • Uma dieta rica em gorduras insaturadas e pobres em gorduras saturadas está indicada para todas as pessoas. Independentemente do valor do seu colesterol. Porém se você tem dislipidemia, seguir esta dieta é ainda mais importante.

Colesterol alto não provoca sintomas. Não causa cansaço, dor de cabeça, falta de ar, dor no peito, palpitação, prostração ou qualquer outro sintoma. O colesterol alto é uma doença silenciosa. A única maneira de saber os níveis de colesterol é através do exame de sangue. Mesmo quando o paciente apresentar valores extremamente elevados não irá apresentar sintomas. Os sintomas como dor no peito, falta de ar, palpitação podem estar associados a uma doença causada pelo aumento dos níveis de colesterol com agnina pectoris ou mesmo infarto agudo do miocárdio.

Tratamento de Colesterol

 Uma dieta rica em gorduras insaturadas e pobres em gorduras saturadas está indicada para todas as pessoas, independentemente do valor do seu sangue. Porém se você tem dislipidemia, seguir esta dieta é ainda mais importante. Entretanto, nem sempre a sozinha resolve o problema, porque o aumento do LDL está relacionado a fatores genéticos e alimentares. Todo paciente com níveis elevados deve se submeter à dieta, praticar exercícios físicos regulares e se estiver acima do peso, emagrecer.

Os cuidados com a alimentação devem ser redobrados por pessoas com diabetes, pois estas apresentam riscos de manifestações da aterosclerose de três a quatro vezes maior que as pessoas não-diabéticas. Há alimentos que ajudam a reduzir as taxas de colesterol no sangue, assim como também existem os que devem ser evitados.

Medicamentos 

Somente um médico pode dizer qual o medicamento mais indicado para o seu caso, bem como a dosagem correta e a duração do tratamento. Siga sempre à risca as orientações do seu médico e NUNCA se automedique. Não interrompa o uso do medicamento sem consultar um médico antes e, se tomá-lo mais de uma vez ou em quantidades muito maiores do que a prescrita, siga as instruções na bula.

Aterosclerose

É o endurecimento das paredes dos vasos causado pela deposição de gordura e colesteol. Existe uma predisposição genética que, combinada com o fumo, o estresse, a vida sedentária e a pressão alta, pode levar à doença.

aterosclerose

Na aterosclerose, placas de gordura diminuem o diâmetro dos vasos sanguíneos e podem levar à obstrução total

Prevenção

Além de uma alimentação equilibrada, há outras maneiras de evitar o aumento das taxas e, até mesmo, diminuí-las:

  • Fazer exercícios físicos: a atividade física pode ajudá-lo a emagrecer e a diminuir as tensões. Controlando o peso, fazendo exercício ou praticando esporte, você se sente melhor e diminui o risco de infarto e os níveis de colesterol no sangue
  • Não fumar: o cigarro é um fator de risco para doença coronária. Aliado ao colesterol, multiplica os riscos
  • Evitar o estresse: uma vida menos estressada também diminui o risco de infarto e redução dos níveis. Procure transformar as suas atividades diárias em algo que lhe dê satisfação
  • Fazer uma dieta com baixos níveis de gordura e ser rigoroso no controle da alimentação.

ATENÇÃO

Lembre-se de que todos os alimentos de origem animal têm colesterol. Portanto, dê preferência a alimentos de origem vegetal: frutas, verduras, legumes e grãos. Quem tem predisposição a níveis altos deve seguir as mesmas recomendações descritas no tratamento: manter hábitos de vida saudáveis, evitar o fumo e controlar o colesterol e a pressão arterial. Sugestões de hábitos:

  • Coma mais frutas e vegetais
  • Coma mais peixe grelhado ou assado e menos carnes fritas
  • Coma uma variedade de alimentos ricos em fibras, como aveia, pães integrais e maçãs. As fibras ajudam a reduzir as taxas de colesterol
  • Limite a ingestão de gorduras saturadas, como gordura de derivados de leite
  • Limite os alimentos ricos em colesterol, como gema de ovo e fígado
  • Utilize derivados de leite pobres em gordura: leite desnatado, iogurte desnatado e sorvetes light
  • Evite frituras.

Os cuidados com a alimentação devem ser redobrados por pessoas com diabetes, pois estas apresentam riscos de manifestações da aterosclerose de três a quatro vezes maior que as pessoas não-diabéticas. Há alimentos que ajudam a reduzir as taxas de colesterol no sangue, assim como também existem os que devem ser evitados.

Se você deseja manter seu corpo saudável, é importante reconhecer o impacto que as escolhas de sua alimentação e de seu estilo de vida podem ter sobre os níveis de colesterol.

compartilhar fbWHATSAPP

– – – 0 0 0 – – –

GOSTOU DESTE ARTIGO? TEM MUITO MAIS!