BOLHAS NOS PÉS: COMO PREVENIR E TRATAR

Com a chegada do verão, o uso de roupas mais leves, sandálias e sapatos sem meias torna-se mais frequente. Para quem gosta de caminhar, é um grande alívio, mas há também o risco de um transtorno difícil evitar: as famigeradas bolhas.

Elas normalmente se formam devido ao uso de sapatos novos, apertados ou uso de sapatos sem meias. A pele do pé, em contato direto com o sapato, entra em atrito com o couro, algodão ou sintético que, a cada passo, devido ao atrito, obriga a pele a proteger-se através da criação de um “amortecimento”, ou seja, a bolha, preenchida com um líquido incolor, um soro, que isola as camadas mais profundas da pele do atrito com o calçado.

Mesmo formadas para proteger a pele, causam irritação intensa, dor (por vezes insuportável), tornando difícil até o ato de ficar em pé. Então, o que fazer para preveni-las ou curá-las? Evitar as bolhas é difícil, mas você pode reduzi-las utilizando um creme à base de óxido de zinco e silicato de magnésio micronizado: a mistura amacia a pele, cria uma camada protetora e absorve a transpiração, deixando o pé seco.

Outra maneira é usar uma atadura ou gaze no local onde começar a sentir o desconforto. É bom fazer isto logo nos primeiros sintomas, pois se nada for feito, a tendência é evoluir para uma grande bolha. A escolha da meia também é importante: mais suave, sem costura, e o tamanho certo para máxima aderência ao pé.

Uma forma eficaz de impedir o surgimento de bolhas nos pés, é escolher os calçados apropriados para a finalidade a que se destinam. Para caminhadas e corridas, os calçados são diferentes daqueles usados para andar. O uso do calçado certo ajudam a evitar outras complicações desagradáveis, ainda mais significativas do que a bolha.

GRUPO SAUDE

Quando a bolha já se formou, pode-se curá-la de maneiras diferentes. Se a bolha é pequena e não muito dolorida, podemos esperar que ela desapareça sozinha dentro de 2-3 dias, ou simplesmente aplicar uma bandagem especial para bolhas, disponível em farmácias. Estes curativos contêm frequentemente um gel coloidal (ou hidrocolóide) e agem como uma segunda pele, para proteger contra o atrito e a promover a cura.  Procure evitar o uso dos sapatos que as causaram por alguns dias.

Se a bolha for grande e dolorida, lave as mãos e a bolha com sabão e, em seguida, higienize com um pouco de álcool ou solução de iodo. Esterilize uma agulha por imersão em álcool e fure a bolha. Se possível perfurar em vários lugares. Faça o líquido sair totalmente. Tente manter a pele da bolha, que atua como um agente protetor. Aplique um creme antibiótico e coloque uma atadura de gaze sobre a bolha. Prenda-a com um adesivo. Depois de alguns dias, remova a pele morta (com uma tesoura esterilizada) e mude o curativo.

Para prevenir a infecção, não tente estourar as bolhas a menos que seja absolutamente necessário (por exemplo, dor insuportável). Você deve saber que a pele que cobre a bolha funciona como uma barreira protetora contra a entrada de bactérias. Em alguns casos, é melhor consultar um médico, que irá intervir a fim de curar a bolha eliminar a infecção antes que ela se alastre para o resto do pé. Se você precisar estourar a bolha, veja o procedimento para reduzir o risco de infecção acima e observe as dicas a seguir:

  • Mantenha eventuais feridas sempre limpas – lave com Dettol ou Protex.
  • Nunca use um fósforo para desinfetar a agulha a ser usada para furar a bolha. O fogo vai oxidar a camada externa do metal e deixar resíduos que podem causar uma infecção.
  • Se a bolha apresentar muito pus, cheiro desagradável ou ficar vermelha, é porque está infeccionada. Procure um médico para tratar a infecção antes que ela piore e se espalhe.
  • Se a bolha tiver sangue dentro, é porque a ferida é mais séria e atingiu veias. Todo cuidado é pouco ao estourar esse tipo de bolha, pois ela tende a infeccionar mais facilmente.

Bons hábitos para pés saudáveis

Ao longo do ano, e principalmente no verão, quando os pés ficam descobertos, você deve seguir alguns bons hábitos para garantir o bem-estar e o conforto:

  • Lavar os pés todas as noites com água morna e detergente neutro.
  • Fazer um escalda-pés com água e bicarbonato de sódio várias vezes por semana.
  • Secar os pés cuidadosamente, especialmente entre os dedos, para impedir fungos.
  • Usar chinelos ao utilizar chuveiros e vestiários públicos.
  • Mantenha as unhas sempre em ordem para prevenir infecções, unhas encravadas e outras doenças.
  • Ir ao dermatologista sempre que suspeitar de um problema de saúde nos pés. Um controle simples ajuda a evitar problemas como joanetes ou complicações devido a diabetes.

Atualmente existem vários tipos de protetores para usar com os calçados. Eles ajudam na prevenção e aumentam o conforto dos pés. Veja qual é o seu caso e busque uma destas alternativas.

compartilhar fb

[sg_popup id=”10″ event=”onload”][/sg_popup]

[sg_popup id=”18″ event=”onload”][/sg_popup]